“Quando mais divides mais multiplicas” Tim Vieira II

Depois da primeira e grande entrevista, nesta segunda parte vamos a saber qual é o mais recente investimento de Tim Vieira, entre outras coisas.

P: O Tim tem a sua vida realizada… tem algo por realizar?

R: Não, eu acho que ainda tem o melhor para vir. As coisas que eu fiz, podiam ter corrido melhor o pior, mas estou contente com o que fiz.

Tenho coisas que ainda estou a fazer e que estou a gostar muito de fazer na agricultura, na tecnologia a gente estamos a trabalhar, algo tem de funcionar.

Estou a fazer um filme, estou contente e estou a aprender a criatividade e, o que é trabalhar com jovens, tenho o sonho mesmo grande de realizar alguma coisa diferente. Estou muito mais a olhar para o futuro e a ver coisas grandes acontecer à minha frente do que no passado, para mim o passado já foi.

Por isso tenho muita coisa para fazer!

P: Estamos na era da informação, mas ainda há muita gente que parece que lhe falta alguma coisa para tornar realidade os seus sonhos. O que você acha disso?

R: Eu acho que estamos com coisas a mais, estamos com muita media. Eu acho que temos que acreditar no nosso sexto sentido e temos de ser mais esperto do que vemos e do que lemos, e ao mesmo tempo temos que ser mais conscientes com o nosso futuro. E eu falo porque Portugal tem 40% das pessoas que não votam, vim de um país em que pessoas ficaram 27 anos na prisão ou mais, para ter um voto e aqui não votam.

Então não estamos a gerir o nosso país, não estamos a apontar por onde queremos ir e se calhar por essas coisas não temos melhores líderes a tentar serem líderes, parece que não conseguimos fazer mudanças.

Temos que ser mais responsáveis com o nosso país e com o futuro.

Também já nos esquecemos do amor, não há amor que chegue, não há empatia que chegue. Há pessoas a fazer bullying pelo telefone. Isto são coisas negativas, temos que começar a dar amor, quando há mais amor entre as pessoas a gente não faz essas coisas para magoar tanto, e o mundo fica em melhor sítio.

Também não acho que estamos pior do que estávamos há duzentos anos atrás, não acho nada disso. Mas temos, que pensar que o futuro tem que ser melhor do que ontem.

P: O Tim já foi mentor. Quem é o seu mentor?

R: Não tenho um mentor. Eu às vezes estou com pessoas que aprendi muito, com essas pessoas e isso para mim já chega para a semana toda. São pessoas que vem ter comigo do nada e para mim é uma coisa boa.

Também gosto de ler livros de grandes líderes, isso sempre me ajuda. Mas os meus mentores são todas as pessoas com as que aprendo, ainda ontem conheci uma pessoa que estava a servir o vinho e a paixão com que servia e explicava o vinho … deixou-me cá pensar, que se fazemos algo com paixão essa pessoa vai ter sucesso.

E é isso que me inspira, porque vejo as coisas boas e as más obviamente vê-se, mas não é esse o meu foco.

P: Quais foram os seus maiores desafios que já ultrapassou?

R: O meu maior desafio é ficar positivo, às vezes há aqueles dias duros, mas eu sempre acredito que um telefonema pode mudar todo.

Também não se deve deixar a bola cair, isto no râguebi não pode acontecer porque se perde. É inspirar se eu consigo inspirar, é motivar se eu consigo motivar, e é difícil, porque sou humano e também fazemos erros, fazemos más decisões, mas para mim é um desafio.

P: Como se define?

R: Acho que sou uma pessoa muito normal. Gosto de estar com a família, com os amigos. Sou simples mas ainda quero ser mais simples. Acho que fico contente quando estou mais simples.

P: Já estive cá no Tim’s garage e disse que iria a ver outros eventos. Quer falar-nos um pouco sobre isso?

R: Vamos ter o Tim’s Talk e começa em Fevereiro junto com o Link to Leaders e a Body Language, que estão orientados a ajudar as empresas, empreendedores em maneiras práticas em como melhorar nos negócios deles e a serem mais felizes, porque quando se tem sucesso se é mais feliz.

Vou ter pessoas muito interessantes e até eu estou entusiasmado por ouvi-los.

P: Que conselhos deixa as pessoas que querem empreender?

R: A primeira coisa é que têm de sair da zona de conforto, tem de conhecer novas pessoas, tem que tentar abrir novos mercados, têm que enviar cinquenta emails a potenciais interessados e esperar a ver o que respondem. É tentarem e depois devem encontrar melhores pessoas do que nós, e devem continuamente pôr boas pessoas a trabalhar connosco.

Temos de ser realista, não conseguimos ser bons em tudo. Então se tivermos um equipa boa connosco, se encontrarmos novas pessoas e abrir novos mercados, eu acredito muito que as empresas, tem de se concentrar nas vendas para puxarem e crescerem, então, eu acho que ai já estão a caminho do sucesso.

Depois desta longa e interessante entrevista fiquei a saber que para além de ter conquistado o título de tubarão no programa Shark Tank, o Tim é uma das pessoas que pensa que “quando mais divides mais multiplicas”.

Espero que esta entrevista tenha sido útil.

Se gostaste, deixa os teus comentários e partilha com os teus amigos!

Obrigada! 🙂

The following two tabs change content below.
Indira Alva

Indira Alva

Este proyecto surgió cuando estaba buscando una fuente de ingreso extra, quería hacer algo diferente y por internet. Encontré varias formas de hacerlo, pero lo que me motivó a crear este blog, es que haciendo lo que más te gusta junto con el deseo y la pasión lo puedes concretizar. Por eso decidí compartir contigo, todo lo que estoy aprendiendo. No soy bloguera ni tampo problogger, soy apenas una persona que quiere concretizar su sueño y que te puede ayudar a concretizar el tuyo también.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *